Psicoterapia e Comportamento Saúde mental

A vida nos manda seguir em frente…

 

Quantos de nós compreendemos o que fazer diante da vida que nos foi dada? Essa talvez seja uma grande pergunta, mas com bastante dificuldade para ser respondida. Contudo, é inevitável que, cedo ou tarde, tenhamos a consciência de que bem ou mal, devemos continuar vivendo, reconhecendo que somos nós os responsáveis por lamentar ou se levantar.

Apesar do tamanho da saudade, apesar do quanto gostaríamos de mudar o outro, apesar de quantas coisas ainda nos faltam, apesar de ter que acordar cedo e já se sentir cansado, apesar da solidão de mãos dadas, apesar das contas altas, apesar da vontade de amar e não ser correspondido, apesar dessas e de tantas outras coisas, a vida só nos pede que continuemos andando.

Somos sujeitos nessa existência a amar e desamar, perder parentes e reconquistá-los, cair e levantar, enxugar as lágrimas e trocar de sonhos, despedaçar corações e termos o nosso partido, amar e não ser correspondido, desistir e recomeçar, esperar e cansar, entre tantas outras coisas que, simplesmente, chegam como lições de uma frágil vida a nós apresentada.

Então, que sejamos bem vindos, mas sem esperar que tudo seja um mar de rosas.

Não podemos achar que tudo irá bem sempre, mas podemos, sempre, estar dispostos a mudar as circunstâncias, por meio de uma fé que nos faz inabaláveis, entendendo que não há vitoriosos e perdedores, e sim pessoas que lutam e pessoas que desistem.

Quantas vezes você já refletiu sobre isso?

A vida pode parecer um grande mar de desorientação e incertezas, mas devemos enxergá-la como uma oportunidade milagrosa, e assim celebrarmos vitórias, amarmos enquanto temos por perto, realizarmos sonhos, sermos gratos e, a cada dia, não se comparar aos outros.

Temos que aceitar nossas emoções e entendê-las, acreditando que nada é eterno, por mais que gostaríamos que fosse. Por isso, temos o agora para sonhar, ouvir novas músicas, servir ao próximo e sentir amor sem esperar nada em troca, por mais que pareça justo e belo ser retribuído.

E assim, vivendo um dia de cada vez, ao final, perceberá que seu grande medo nunca foi envelhecer, e sim envelhecer cheio de arrependimentos.

Texto de Gui Barreto – Jornalista e roteirista.

You Might Also Like

1 Comentário

  • Responder Marcia Regina Giglioli 14/07/2016 às 22:53

    Muito bom , toda essa explicação nos colocando de encontro com a vivência do nosso dia-a-dia!!!!

  • Qual sua opinião?

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.