Cultura e sociedade 29/10/2019

Outubro Rosa e a conscientização sobre o Câncer de Mama

Outubro Rosa

O movimento conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade.

Alguns dos objetivos do Outubro Rosa são: fortalecer as recomendações para o diagnóstico precoce e rastreamento de câncer de mama; desmistificar crenças em relação à doença; conscientizar sobre a seriedade da doença, formas de redução de risco e de detecção precoce; dentre outros.

O câncer de mama é possivelmente a doença que mais atinge mulheres no mundo e o que mais as mata. Só no Brasil, são descobertos cerca de 130 novos casos por dia, ou seja, cinco vítimas por hora. E o pior, a maioria dos casos são diagnosticados em estágios avançados, quando as chances de cura já são menores.

O que é câncer de mama?

É uma doença resultante da multiplicação de células anormais da mama, que forma um tumor com potencial de invadir outros órgãos. Há vários tipos de câncer de mama e a maioria tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado no início.
 .

Fatores de risco

Não existe uma causa única para o câncer de mama, que é mais comum em mulheres (apenas 1% dos casos são diagnosticados em homens) e tem na idade um dos mais importantes fatores de risco para a doença. Cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos. O câncer de mama de caráter genético/hereditário corresponde a apenas 5% a 10% do total de casos da doença. (Fonte: INCA)
.
[accordion open=”1″] [accordion-item title=”Fatores Ambientais e Comportamentais:“]
  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo (não fazer exercícios);
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X)
[/accordion-item] [accordion-item title=”Fatores da História reprodutiva e hormonal“]
  • Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio – progesterona);
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.
[/accordion-item] [accordion-item title=”Fatores Genéticos e hereditários*“]
  • História familiar de câncer de ovário;
  • Vários casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
  • História familiar de câncer de mama em homens;
  • Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

*A mulher que possui um ou mais desses fatores genéticos/ hereditários é considerada com risco elevado para desenvolver câncer de mama.

[/accordion-item] [/accordion]

.
A presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher terá necessariamente a doença.
.
É possível se prevenir da doença?

Sim. Estima-se que 30% dos casos possam ser evitados quando são adotadas práticas saudáveis. Por exemplo:

  • Praticar atividade física;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar;
  • Conhecer os sinais e sintomas;
  • Fazer a prevenção. Se toque!

.
Sinais e sintomas

Alguns tipos de câncer apresentam sintomas e sinais em suas fases iniciais. Descobertos cedo, podem ser tratados a tempo. A detecção precoce ajuda a reduzir a mortalidade e traz melhores resultados no tratamento de alguns tipos de câncer. Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos

Ao identificarem alterações persistentes nas mamas, deverá procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica.
.
Detecção precoce

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais aumentando assim as chances de tratamento e cura. É importante que observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias. Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (radiografia das mamas) mesmo quando não há sinais nem sintomas, a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.

Mulheres com risco elevado para câncer de mama devem conversar com o seu médico para avaliação do risco para decidir a conduta a ser adotada..O SUS oferece exame de mamografia para todas as idades, quando há indicação médica.

Leia mais: Cartilha sobre o Câncer de Mama

 

You Might Also Like

4 Comentários

  • Responder Janaína Ferraz 03/10/2016 às 11:51

    Compartilho! Obrigada =)

  • Responder Pedro Paulo Vargas 20/10/2015 às 15:34

    Minha mãe teve câncer e apenas se curou pq foi descoberto cedo. Muito importante esse post. Obrigado

    Qual sua opinião?

    Send this to a friend